O vinho é muito mais do que apenas suco de uva alcoólico. Há muitas particularidades que influenciam o aspecto, o aroma e o sabor de um vinho, resultando numa ampla variedade de estilos. É isto que nos dá a possibilidade de ter
uma grande variedade de escolha quando vamos a um bar, a um restaurante ou a uma loja.

Uma das características do vinho que irei apresentar hoje são suas cores. De maneira geral, quanto à cor, os vinhos são classificados segundo as uvas que lhes dão origem ou de acordo com o processo de produção do vinho.
Os Vinhos tintos são produzidos a partir de uvas tintas sem retirar a casca no processo de produção: a cor varia do rubi que pode ser mais translúcido ou opaco ao granada mais intenso. Também costumam ser mais secos e com teor alcoólico maior.
Os Vinhos rosés são produzidos com uvas tintas que ficam menos tempo em contato com as cascas durante o processo de fermentação. A diferença para o tinto é que as uvas não permanecem durante todo o processo, sendo retiradas para que o vinho termine sua fermentação somente com o suco extraído. Por isso a sua cor fica “rala” se comparado ao tinto. Podem ir do rosa pálido ao violeta.
Os vinhos brancos não são necessariamente feitos com uvas brancas, sabia? Embora seja mais comum, é possível fazer vinhos brancos com uvas tintas, desde que não utilize as cascas na produção. Eles são feitos a partir do suco da uva, ou seja, as cascas são separadas e eliminadas antes da fermentação para que sua pigmentação intensa não entre em contato com o vinho. Isso faz com que o líquido a ser
fermentado não tenha contato com substâncias da casca que, entre outras coisas, acrescentam a cor ao líquido. Os tons vão do amarelo pálido ao âmbar. É importante ressaltar que os vinhos brancos apresentam quantidades muito inferiores de taninos, uma vez que a fermentação se dá, via de regra, sem a presença das partes sólidas das uvas, de onde se extraem a maior parte dos taninos, ou seja, nas cascas, sementes e engaços. Outro ponto é o tipo de armazenamento e o tempo de conservação também podem influenciar para a intensidade dos taninos. Quanto mais tempo de guarda, mais suave é a sua presença, tornando o sabor do vinho mais macio e fácil ao paladar.
Resumo da ópera: A cor do vinho vem da casca e não do sumo, é possível fazer vinho branco com uva tinta e nunca vinho tinto de uva branca já o rosé é feito com parcial
maceração das cascas.

Dica: Os vinhos brancos, os rosés e os espumantes precisam ser refrigerados antes de
serem servidos.

Até a próxima

Comentários