O Centro Universitário IESB recebe, nesta quarta-feira, logo mais às 19h30, o renomado chef de cozinha norte-americano, Andrew Monk para uma aula show aberta ao público, com o tema “A Metodologia em como criar pratos categorizando e relacionando ingredientes a notas e escalas musicais”.

Antes do encontro, que acontecerá no Auditório D, do Campus Sul da instituição, o chef conversou um pouco com a gente e falou sobre sua carreira e sua ligação com a comida. “As coisas mais poderosas que experimentei com a comida são a comunicação enquanto pessoas quando partimos o pão ao redor de uma mesa. Isso transcende a linguagem e é uma maneira de experimentar a cultura fisicamente, diz.

A demonstração conta com exemplos clássicos de combinações de ingredientes, técnicas de cozinha e sua influência no tom de um ingrediente, degustação de dois estilos de pratos, debate sobre a criação de um prato único ou um menu de múltiplos sabores, entre outras coisas.

Ainda sobre a aula que será ministrada, ele diz que “esta foi uma maneira diferente de olhar para a comida, que acabou o ajudando a discutir o desenvolvimento do sabor com os cozinheiros” e que traz uma ligação com sua trajetória voltada aos detalhes da cozinha.

Professor na Universidade Estadual da Pennsylvania (Penn State), nos Estados Unidos, Andrew Monk tem 23 anos de experiência na indústria gastronômica e traz em sua bagagem a ligação com os pequenos produtores, as origens dos alimentos utilizados na cozinha e o consumo sustentável, um movimento que ele vê ganhando novos adeptos. “Nos Estados Unidos, vejo um número crescente de pessoas que desejam comer e sentir-se saudável novamente. Eles se decepcionaram com o alimento barato e conveniente e querem explorar as outras opções. Há barreiras para isso, como educação e custo, mas acredito que, com o tempo, elas serão superados”, afirma.

Comentários

Max Cajé
Cria do Cerrado, Max Cajé negou as raízes ao detestar pequi, descobriu que o amor à culinária nordestina era hereditário e que paladar é algo que se conquista, com muito treino e, às vezes, dinheiro para pagar a conta. Sempre teve uma relação de amor com a comida e nunca deixou de agradecer o advento do metabolismo rápido nesse processo. Começou a estrada de jornalista escrevendo sobre moda, caiu na Gastronomia por acidente e se especializou por amor. Aprendeu que até chegar à mesa, o alimento cria carreiras, muda vidas, aguça os sentidos e cria histórias, boas e ruins, as quais pretende contar aqui.