Estamos entrando na reta final de um festival vindo de uma iniciativa criativa e empreendedora, o Panelas da Casa. E se você ainda não aproveitou os cardápios feitos a quatro mãos por chefs renomados da cidade, a gente te ajuda na escolha mostrando o que, para nosso paladar, são as melhores sequências de pratos do projeto.

3º Lugar – Veloce cria com o Cantucci – Servido no Cantucci

A casa comandada pelo time de jovens empresários, que também tocam a Mr. Brownie e a distribuição da Colombina na cidade, recebeu toques de Rafael Rocha, do Veloce para criar um cardápio coeso e saboroso.

Com uma massa no ponto, o conchiglioni de siri ou de funghi ao pomodoro começa a refeição mostrando a que veio, fugindo do tradicional. Já o Polpetone gratinado e recheado com muçarela de búfala com nhoque ao pesto vem em uma porção satisfatória, com noque roubando a cena pela textura. A Panna Cotta com calda de framboesa é um jeito simples de encerrar sem deixar a desejar ou pesando a mão.

2º Lugar – Belini Café cria com o El Paso – Servido no El Paso

Mestre da Culinária Latina, David Letching supreende mais uma vez com o Ceviche Maya: ceviche de peixe branco com creme de abacate e azeite, provando que não nada tão bom que não possa melhorar.

O Arroz moreno de camaronês (Arroz cremoso com coco, camarões e pimenta amarela) é daquelas situações onde de uma receita simples é possível tirar um sabor que marca. Na sobremesa, a Belini Café bate o ponto com o Afogatto de tres leches: Bolo de três leites com chantilly e sorvete regado com café espresso. Ponto bem fora da curva para o que é servido na casa, mas que desperta a curiosidade do paladar de quem já cliente fiel do El Paso.

1º Lugar – Genghis Khan cria com o Café Savana – Servido no Café Savana

Para quem não costuma frequentar o fim da Asa Norte, o Café Savana pode parecer longe, mas com certeza o cardápio do local vale a viagem.

A melhor entrada dessa edição para quem gosta de sabor apurado. O Dumpling de legumes e ricota com molho curry traz a identidade oriental do Genghis Khan em uma mistura que deixa o gostinho de quero mais na boca e se mostra forte o suficiente para fazer valer a presença do curry, mas não ultrapassa a linha de incomodar os mais sensíveis.

Na segunda etapa, o chef Marcelo de Mello apresenta o Picadinho Oriental com Shitake (Picadinho de filé com molho à base de shoyu e cogumelos shitake, acompanhado de farofa com farinha panko, com castanhas e arroz com pimentão vermelho). Uma combinação pouco usual na leitura, porém super acertada na boca.

O encerramento vem com Cheesecake com geleia de laranja, raspas de limão Siciliano e calda de hibisco, que serve de equilibro para o paladar após duas etapas de gosto presente.

“Somos realmente uma panela, um grupo de amigos que se uniu em busca de apresentar algo diferenciado para o público e reforçar a criatividade da culinária local, de chefs que fazem parte da história da gastronomia aqui”, diz o chef Marcelo de Mello.

Para ele, a junção de cozinhas nesta edição enriqueceu ainda mais a experiência gastronômica de quem prova e desafia ainda mais os cozinheiros a se reinventar. “Essa integração só agregou ao festival e pretendemos repetí-la”, conta.

Todos os menus são servidos até o dia 15 de março ao valor de R$ R$49 por pessoa.

SERVIÇO:
Festival Gastronômico Panelas da Casa
Data: 21 de fevereiro a 15 de março
Valor menu (entrada + principal + sobremesa): R$ R$49 – por pessoa
Valor cerveja Colombina: R$19,90
https://www.facebook.com/panelasdacasa/
Instagram: @panelasdacasa

Cantucci Bistrô
CLN 403, bloco E, lj 3 – Asa Norte
Informações e Reservas: (61) 3328-5242

El Paso
CLN 110 Norte, CLS 404 Sul e Terraço Shopping
Informações e Reservas: (61) 3323-4618

Café Savana
CLN 116, bloco A, loja 4- Asa Norte
Informações e reservas: (61) 3347-9403

Comentários

Max Cajé
Cria do Cerrado, Max Cajé negou as raízes ao detestar pequi, descobriu que o amor à culinária nordestina era hereditário e que paladar é algo que se conquista, com muito treino e, às vezes, dinheiro para pagar a conta. Sempre teve uma relação de amor com a comida e nunca deixou de agradecer o advento do metabolismo rápido nesse processo. Começou a estrada de jornalista escrevendo sobre moda, caiu na Gastronomia por acidente e se especializou por amor. Aprendeu que até chegar à mesa, o alimento cria carreiras, muda vidas, aguça os sentidos e cria histórias, boas e ruins, as quais pretende contar aqui.