Nome por trás das cartas de drinks de mais de uma dezena de casas em Brasília, incluindo Restaurante Contê, Nakombi, Otramanera Cocina Latina, Saveur Bistrô, Bar Fora do Eixo e Cantucci, o mixologista Gustavo Guedes se consagra agora como um dos finalistas na etapa nacional da 10ª edição do World Class Competition, a maior campeonato de coquetelaria do mundo.

Ao lado de outros sete profissionais, o brasiliense disputa no dia 04 de julho, em São Paulo, o título de melhor bartender do Brasil, após passar pelas semifinais, onde teve que apresentar um drink autoral inspirado nos campeões globais das últimas edições.

O drink que o levou à ultima disputa nacional foi o ‘Quixote’. “Um drink inspirado no bartender David Rios (ganhador mundial do World Class 2013) e em sua paixão pela Espanha. Os ingredientes são: Talisker Dark Storm, meu single malt favorito que puxa uma salinidade e tem caráter defumado, shrub de abóbora com jerez, horchata com cumaru (um preparo de amêndoas com especiarias e esse ingrediente bem brasileiro), Dry Vermute e dois bitters, um cítrico de toranja com flor de laranjeira e outro com um amargo mais macio, de nibs de cacau e outras especiarias”, explica o mixologista.

Sobre a última e mais importante etapa ele adianta: “Estou investindo em ingredientes mais brasileiros (seriguela, cupuaçu, baru, baunilha do cerrado, graviola e nossos condimentos) para criar drinks com muita personalidade e deixar algumas cartas na manga, já que a competição começa dia primeiro de julho e vai até o dia 04”.

Gustavo também se mostra otimista com o resultado nacional. “Os competidores estão em um nível altíssimo mas estou confiante! Talvez consiga trazer o título para a capital”, diz. Caso leve o título brasileiro, Gustavo segue para a final mundial, que acontece em Berlim.

Comentários

Max Cajé
Cria do Cerrado, Max Cajé negou as raízes ao detestar pequi, descobriu que o amor à culinária nordestina era hereditário e que paladar é algo que se conquista, com muito treino e, às vezes, dinheiro para pagar a conta. Sempre teve uma relação de amor com a comida e nunca deixou de agradecer o advento do metabolismo rápido nesse processo. Começou a estrada de jornalista escrevendo sobre moda, caiu na Gastronomia por acidente e se especializou por amor. Aprendeu que até chegar à mesa, o alimento cria carreiras, muda vidas, aguça os sentidos e cria histórias, boas e ruins, as quais pretende contar aqui.