Bruno Rappel, Max Sommo e Sebastian Parasole

Professores do curso de Gastronomia do Centro Universitário IESB, os chefs Max Sommo e Bruno Rappel seguem para Buenos Aires no próximo dia 26 de novembro para participar da seletiva de um dos mais prestigiados concursos gastronômicos do mundo, o Bocuse D’Or.

A dupla vai disputar a fase onde o competidor tem três horas para preparar um ojo de bife (entrecôte) e três guarnições: uma tipicamente argentina, outra livre e a terceira baseada em um elemento surpresa, que será sorteado na hora.

Sommo, que é argentino executará os pratos, enquanto o brasileiro Bruno será o treinador. “Sei que vou competir com cozinheiros mais experientes e que já participaram de outras edições, mas estou indo para ganhar”, comenta Max, que disputará com os conterrâneos Belen Pracilio, do Martin Berasategui; Emiliano Schobert, do El Obrador Escuela de Arte Culinario; Mauro Trinarolli, do Hotel Llao Llao; e Rodrigo Da Costa, do La Panadería de Pablo.

A avaliação do prato será feita considerando 60% para sabor e técnica e 40% baseado em critérios como estética, organização, limpeza da bancada, higiene pessoal. O resultado é divulgado no mesmo dia e, caso vença, a dupla segue para oMéxico, em abril de 2018, para lutar por um lugar na grande final, que será realizada em Lion, na França, em janeiro de 2019.

Comentários

Max Cajé
Cria do Cerrado, Max Cajé negou as raízes ao detestar pequi, descobriu que o amor à culinária nordestina era hereditário e que paladar é algo que se conquista, com muito treino e, às vezes, dinheiro para pagar a conta. Sempre teve uma relação de amor com a comida e nunca deixou de agradecer o advento do metabolismo rápido nesse processo. Começou a estrada de jornalista escrevendo sobre moda, caiu na Gastronomia por acidente e se especializou por amor. Aprendeu que até chegar à mesa, o alimento cria carreiras, muda vidas, aguça os sentidos e cria histórias, boas e ruins, as quais pretende contar aqui.