O Galpão 17 será palco, a partir do próximo dia 05, da famosa label Bud Party, com três dias de festa oferecidos pela Budweiser.

Na programação, transmissão de shows ao vivo do Lollapalooza seguidos de selos como a festa Play e Stage, trazendo DJs residentes. No domingo, dia 07 ainda rolam apresentações de bandas covers e autorais, a partir das 18h.

Na sexta-feira, a entrada será franca das 18h às 23h. Após esse horário, custará R$ 20 e o evento receberá a PLAY. No sábado, a entrada é livre das 14h às 18h, quando começa a festa Stage. No domingo, entrada gratuita também das 14hs às 18h, e logo após, show das bandas.

Zimbra, Trampa, O Tarot, Jean Tassy, os Djs Chicco Aquino, Camila Jun e Coletivo Índios e as bandas covers Ledbetter (Pearl Jam), Tributo Arctic Monkeys, e Banda Heat tocando bandas que já estiveram no festival, estão confirmadas na Bud Party.

Enquanto a entrada estiver liberada, é possível aproveitar a dose dupla de Bud, durante os três dias.

Confira a programação completa:

05.04 – Deu Play! no Lolla
– 18h: Abertura dos portões com entrada gratuita até 23h
– Transmissão ao vivo do Lollapalooza.
– DOUBLE BUD (compre uma Bud e ganhe outra) até 23h.
– 23h: Início da programação paga com a festa Play! Brasília – Valor ingresso meia: R$20,00

06.04 – STAGE
– 14h: Abertura dos portões com entrada gratuita até 18h.
– Transmissão ao vivo do Lollapalooza.
– DOUBLE BUD (compre uma Bud e ganhe outra) até 18h.
-18h: Início da programação paga com a festa STAGE – Valor ingresso meia: R$20,00

07.04 – New Classics Are Coming
– 14h: Abertura dos portões com entrada gratuita até 18h
– Transmissão ao vivo do Lollapalooza
– DOUBLE BUD (compre uma Bud e ganhe outra) até 18h.
– 18h: Início da programação paga com shows ao vivo- Valor ingresso meia: R$20,00

Comentários

Max Cajé
Cria do Cerrado, Max Cajé negou as raízes ao detestar pequi, descobriu que o amor à culinária nordestina era hereditário e que paladar é algo que se conquista, com muito treino e, às vezes, dinheiro para pagar a conta. Sempre teve uma relação de amor com a comida e nunca deixou de agradecer o advento do metabolismo rápido nesse processo. Começou a estrada de jornalista escrevendo sobre moda, caiu na Gastronomia por acidente e se especializou por amor. Aprendeu que até chegar à mesa, o alimento cria carreiras, muda vidas, aguça os sentidos e cria histórias, boas e ruins, as quais pretende contar aqui.